Benefícios de unir contabilidade e gestão financeira

Você sabe como a contabilidade e a gestão financeira se relacionam? No ambiente corporativo, as informações geradas pela primeira são essenciais para a realização eficiente da segunda. E o motivo é simples: esses dados são importantes para a avaliação do desempenho financeiro e operacional da empresa.

Quem faz MBA em Finanças e Controladoria USP/Esalq tem a oportunidade de debater esse assunto em aula com professores como Rafael Gatsios, docente do curso, autor e pesquisador das áreas de finanças corporativas, gestão de risco e mercado financeiro.

Antes de falarmos dos benefícios de unir contabilidade e gestão financeira, que tal desmistificar um pouco sobre Ciência de Dados e os profissionais que atuam nesse segmento?

Contabilidade e gestão financeira: onde elas se encontram?

A gestão financeira das empresas pode contar com o auxílio de informações contábeis presentes em demonstrações como:

  • Balanço patrimonial
  • Demonstração de resultado do exercício
  • Demonstração de fluxo de caixa
  • Demonstração de valor adicionado

Segundo Gatsios, relatórios gerenciais também podem ser elaborados para influenciar positivamente as decisões relacionadas à gestão financeira e operacional da empresa.

Benefícios dessa união

Sabendo quais informações contábeis unem contabilidade e gestão financeira, é hora de entender como elas podem ser utilizadas para gerar vantagem competitiva para as organizações. Com esses dados é possível:

  • Verificar ativos e passivos da empresa
  • Avaliar o desempenho da operação
  • Verificar as margens, custos e despesas
  • Avaliar o lucro da operação

“Além de tudo isso, ainda de posse das informações, contábeis é possível avaliar a gestão de caixa da empresa, observando a capacidade de geração de caixa e liquidez da companhia”, complementa o professor.

“Para que as informações contábeis sejam utilizadas na tomada de decisões corporativas, é preciso que o objetivo da informação não seja única e exclusivamente apuração fiscal. A área interna da empresa ou a empresa contratada para realizar a contabilidade deve gerar informações com foco na tomada de decisão”, explica.

Leia mais: Como fazer uma gestão baseada em valor eficaz

Um panorama sobre gestão corporativa

Para falar sobre contabilidade e gestão financeira é preciso ter em mente que a gestão da empresa está diretamente relacionada às decisões de investimento, financiamento e gestão de curto prazo.

“Neste sentido, a gestão deve focar na correta avaliação dos projetos ou produtos da empresa. Aqui, é importante entender o resultado operacional de cada um desses projetos ou produtos da instituição”, ressalta Gatsios.

É tarefa da gestão se preocupar com a estrutura de capital da empresa, avaliando as fontes de financiamento de suas operações, analisando as fontes de capitação de recurso e observando os custos dessas fontes.

“De maneira combinada, a gestão deve avaliar se os investimentos realizados pela empresa superam os custos de financiamento, ponderando, assim, a viabilidade econômica do negócio.”

E, como mencionado anteriormente, a gestão de curto prazo está inserida na gestão financeira da empresa e deve observar a relação entre recursos e dívidas de um futuro mais próximo.

É possível unir contabilidade e gestão financeira pessoal?

Gatsios explica que a contabilidade apresenta informações aplicáveis às organizações. “A gestão financeira pessoal deve seguir uma análise entre as receitas e despesas do período, avaliando decisões de consumo presente com as necessidades de investimentos para o consumo futuro”, conclui.

O Blog Next preparou algumas dicas de economia pessoal para momentos de crise. Confira!

E você, como enxerga a união de contabilidade e gestão financeira na sua empresa? Comente 😊

Você também pode gostar:

Autor (a)

Marina Petrocelli
Mais de 12 anos se passaram desde minha primeira experiência com Comunicação Social. Meus primeiros anos profissionais foram dedicados às rotinas de redações com pouca ou nenhuma relevância digital. O jornalismo plural se resumia em apurar os fatos, redigir a matéria e garantir uma foto expressiva. O primeiro sinal de mudança veio com a proposta para mudar de realidade e experimentar um formato diferente de produzir. Daí pra frente, as particularidades do universo do marketing se tornaram permanentes. Ah! Também me formei em Direito (com inscrição na OAB e tudo). Mas nem tudo se resume às minhas habilidades profissionais. Como produtora de conteúdo, me interesso por boas histórias, de pessoas reais ou em séries, filmes e livros, especialmente distopias. Gosto de montar roteiros de viagens e reconhecer estrelas e constelações em um aplicativo no celular. Museus, música e arte no geral chamam minha atenção, assim como cultura pop.

Compartilhar