O profissional do futuro é para hoje! Sidnei Oliveira dá dicas no MBX

Pensar nas próximas tendências do mercado de trabalho pode ter nos deixado com a impressão de que as mudanças profissionais ainda vão demorar alguns anos para acontecer. Mas a verdade é que o profissional do futuro é para hoje e é sobre isso que Sidnei Oliveira, escritor, mentor de carreira e fundador do Instituto de Mentoria e da Escola de Mentores, vai falar no dia 23 de junho (quarta-feira), na inauguração do MBX – MBA Experience.

A palestra O Profissional do futuro: você está no jogo? vai debater a relação entre os profissionais e o trabalho. “Isso implica pensar sobre a mudança de relação entre os indivíduos e a empresa, seja no caso de empresários, em que a empresa é própria, ou no caso de profissionais que prestam serviço de forma mais individualizada”, apresenta Oliveira.

A mobilidade da internet

Segundo o palestrante, essa relação está continuamente em alteração desde a popularização da internet. “O universo digital trouxe a realidade da mobilidade, para o bem e para o mal. E essa mobilidade produz certa confusão entre o que é individual, pessoal, e o que é profissional.”

Para ele, as pessoas tendem a confundir e misturar as coisas, sem estabelecer limites. “Com isso, percebemos que o profissional do futuro precisa exercer mais autodisciplina, porque o mundo está mais fluído e, consequentemente, o trabalho também será cada vez mais fluído”, explica.

Novos modelos de relação profissional

Estamos tão acostumados a dar nomes que esquecemos que o profissional do futuro é para hoje, para o presente. Assim, o colaborador que gera valor, profissionalmente, está ligado à fluidez.

“Nos últimos anos, utilizamos muito o termo profissional flux, que é aquela pessoa com alta capacidade de flexibilizar as atividades, com foco no projeto que está desenvolvendo e na geração de valor, e com expectativa de contrapartida, de remuneração, a partir dessa geração de valor”, comenta Oliveira.

Tudo isso parece muito teórico certo? Por isso o palestrante explica que o desafio de cada um é migrar para esse novo modelo de relação profissional, deixando de lado o foco na empresa, no cargo e na carreira, ou, pelo menos, na carreira hierárquica.

“Essas são as grandes mudanças que podemos atribuir a esse profissional de um futuro, que não é distante, que já está presente atualmente”, enfatiza.

Qualidades do profissional do futuro

De forma bem direta, Oliveira destaca que o profissional do futuro é para hoje e é mais resiliente, mais focado e é um grande aprendiz.

“Hoje, esse profissional está aberto a aprender e não tem receio de experimentar. Mas não fica só na experimentação. Ele também é mais consistente e sai dessa realidade que estamos hoje, de superficialidade, em praticamente tudo que estudamos. É um profissional mais profundo”, analisa

Dicas para currículo

Pensando nessa fluidez e profundidade, Oliveira dá dicas para melhorar o currículo de quem já entendeu que o profissional do futuro é para hoje! “O currículo não é mais um documento formado a partir de conhecimentos exclusivamente teóricos, como faculdades, cursos e diplomas, e cargos ocupados em empresas”, alerta o palestrante.

O novo momento pede um currículo focado em realizações. “É importante mostrar onde estive, o que realizei lá, quais resultados apresentei e qual meu caminho de desenvolvimento profissional. Não é mais mostrar onde estudei, mas quais caminhos eu adoto para adquirir conhecimentos”, completa.

E as competências técnicas?

Calma que elas ainda têm muito espaço. O que Oliveira observa é que exite uma grande possibilidade das competências técnicas que são mais ligadas à operação serem automatizadas, por meio de inteligência artificial, robotização e algoritmos que estabelecem processos de decisão e escolha.

“Mas isso não significa que elas não são importantes, só que terão uma nova configuração. As pessoas muito especialistas não serão especialistas por uma competência técnica, mas pelo foco e profundidade que elas dão à profissão”, comenta.

Fluxo de informação e mentoria

De acordo com Oliveira, vivemos um tempo em que a maioria das pessoas está super nutrida de informações, mas ainda distantes da realização prática. “Os profissionais de hoje são mais teóricos do que práticos e os profissionais mais veteranos, que já colecionam muitas realizações e vivências, têm a tendência de adotar um papel de mentoria, se considerar que o profissional do futuro é para hoje”, enfatiza.

O palestrante ainda reforça que os profissionais veteranos são referências importantes, que complementam nosso conhecimento teórico e prático. “O conhecimento referencial está, principalmente, nas pessoas com mais experiência. Por isso, o profissional do futuro precisa contar, cada vez mais, com a realidade da mentoria”, conclui.

Agora que você sabe que o profissional do futuro é para hoje, você já se perguntou se ainda está no jogo? Inscreva-se no MBX e aproveite essa oportunidade de compartilhar vivências!

Autor (a)

Marina Petrocelli
Mais de 12 anos se passaram desde minha primeira experiência com Comunicação Social. Meus primeiros anos profissionais foram dedicados às rotinas de redações com pouca ou nenhuma relevância digital. O jornalismo plural se resumia em apurar os fatos, redigir a matéria e garantir uma foto expressiva. O primeiro sinal de mudança veio com a proposta para mudar de realidade e experimentar um formato diferente de produzir. Daí pra frente, as particularidades do universo do marketing se tornaram permanentes. Ah! Também me formei em Direito (com inscrição na OAB e tudo). Mas nem tudo se resume às minhas habilidades profissionais. Como produtora de conteúdo, me interesso por boas histórias, de pessoas reais ou em séries, filmes e livros, especialmente distopias. Gosto de montar roteiros de viagens e reconhecer estrelas e constelações em um aplicativo no celular. Museus, música e arte no geral chamam minha atenção, assim como cultura pop.

Compartilhar