Como se tornar autoridade no agronegócio com a Agricultura 4.0

O conceito de hiperconectividade é a base da agricultura 4.0 e retrata um cenário integrado de tecnologias, com ferramentas e programas interligados. A era da informação e conexão também chegou ao agronegócio para unir dois extremos da cadeia produtiva.

De um lado está o produtor, que pensa na agricultura 4.0 como uma forma de melhorar seus negócios e aceita os desafios que essas novidades trazem para dentro da porteira. Do outro lado estão os agentes de inovação do setor, que possibilitam a gestão das tecnologias.

Nesse cenário, conhecimento e informação estão ainda mais acessíveis, mas também fica mais complexo identificar o público e adaptar linguagem para uma comunicação estratégica que garanta boa oportunidade de destaque para sua marca no agronegócio.

Conexão

Nos últimos anos, o agronegócio aumentou a presença no universo digital, com produtores cada vez mais conectados. Por isso, estar na internet e conseguir certa relevância ou autoridade online são essenciais para o sucesso da sua marca.

E é nisso que a agricultura 4.0 se baseia. A estratégia deve estar ancorada nas plataformas digitais, que oferecem interação, comunicação rápida, compartilhamento de informações e fotos e atendimento ao cliente de forma mais confortável, prática e, algumas vezes, até instantânea.

Com toda essa conectividade, a dica é apostar na produção de conteúdos que gerem interação e oportunidades de negócios. Quando uma empresa entrega conteúdo relevante, forma-se uma rede de relacionamento com os usuários, conquistando a confiança de potenciais clientes e tornando-se referência na área.

As possibilidades da agricultura 4.0 incluem, por exemplo, boas produções audiovisuais para apresentar um produto, máquina ou até uma safra inteira. E tudo isso pode ser construído com equipamentos simples e de qualidade, como os celulares atuais.

Conteúdo

Mesmo com toda essa modernização do setor, ainda tem muito espaço para conteúdo sobre conectividade ou que detalham melhor as novas técnicas e tecnologias. Boa parte do agronegócio ainda está no campo e tem muito para “urbanizar”.

Assim, esse tipo de conteúdo se torna muito relevante para quem ainda tem dificuldade de acesso ou de acompanhar todas as novidades do setor. Esse é o momento de apresentar soluções, sobretudo se elas forem parte da marca.

É importante mostrar todas as possibilidades, especialmente sobre conectividade, um assunto bastante em alta na agricultura 4.0 e que confere autoridade.

Dados

Não é à toa que muitos especialistas dizem que vivemos na era da informação. Nunca foi tão importante – e fácil – coletar, armazenar e tratar os dados, tanto internos quanto externos.

Então, ferramentas que facilitam essas atividades da agricultura 4.0 são vistas com bons olhos, inclusive quando relacionadas às soluções que podem ser oferecidas ao profissional do agronegócio.

Uma sugestão é oferecer cursos e aprendizagem online a fim de capacitar e facilitar essa captação de dados. Tudo isso proporciona mais conhecimento ao produtor, que pode identificar novas possibilidades.

Debates

Entender que uma marca não é a única fonte de informação também é algo importante na agricultura 4.0. É por isso que promover e participar de debates e bate-papos são boas ideias para movimentar o setor e colocar as empresas à frente dos temas discutidos.

No MBA em Agronegócios USP/Esalq, esses debates fazem parte da programação geral do curso, que inclui disciplinas como Marketing no Agronegócio, com estratégias de conteúdo especialmente direcionadas para o setor.

Você já conhecia a agricultura 4.0? Deixe nos comentários mais dicas para acompanhar esse movimento ?

Autor (a)

Ana Rízia Caldeira
Boa ouvinte, aprecio demais os momentos em que posso ver o mundo e conhecer as coisas pelas palavras das outras pessoas. Não por menos, entrei para o jornalismo. E além de trazer conteúdos para o Next, utilizo minhas habilidades de apuração e escuta para flertar com a mini carreira de apresentadora nos stories do MBA USP/Esalq, no quadro Você no Camarim. Quando não estou me ocupando em ser a garota dos textos e do Instagram, gosto de usar meu tempo para devorar livros, acompanhar algum bom filme, enfeitar minha casa com tapetes de crochê, desenhar flores e abusar dos meus dotes na cozinha.

Compartilhar