Empresas campeãs do 2BPC performam melhor que Ibovespa em 2019

O Brazilian Best Performing Companies (2BPC), prêmio baseado em uma metodologia exclusiva construída pela parceria entre Instituto Assaf e Instituto Pecege, divulgou os resultados das cotações de mercado de 30 empresas (participaram 35 empresas, mas algumas saíram do mercado e/ou participaram de fusões).

A tabela abaixo ilustra o comportamento da carteira dessas 30 ações (as de maior volume negociado) no período de abril de 2019 (1º/04/2019) a março de 2020 (até 09/03/2020).

  Carteira Instituto Assaf/Pecege Carteira Ibovespa
Retorno médio 36,3% -0,16%
Risco 5,44% 5,14%

Os retornos foram calculados a partir das cotações médias mensais no período de abril de 2019 a março de 2020. Para o risco da carteira, foram considerados pesos iguais para todas as ações no período.

Os retornos mensais podem ser visualizados no gráfico abaixo, considerando o investimento de R$ 1,00, no momento da divulgação do prêmio pelo Instituto Assaf e Pecege.

O 2BPC revela as companhias abertas não-financeiras de melhor desempenho financeiro durante o exercício social de 2018. Diferente de indicadores tradicionais que olham somente para as demonstrações financeiras, o 2BPC engloba indicadores como lucro econômico, prêmio pelo risco do acionista e resultado da alavancagem. Trata-se de uma análise completa da saúde financeira das companhias consideradas.

As empresas campeãs foram as que apresentaram o melhor desempenho dentre indicadores que incluem modernas medidas econômico-financeiras que se destacam das demais publicações similares, como tempo médio de vida útil dos ativos das empresas, apuração do lucro econômico, prêmio pelo risco do acionista, resultado da alavancagem financeira no retorno do capital próprio entre outros destaques.

Quer saber mais sobre o 2BPC e sua metodologia? Clique aqui!

Autor (a)

Marina Petrocelli
Mais de 12 anos se passaram desde minha primeira experiência com Comunicação Social. Meus primeiros anos profissionais foram dedicados às rotinas de redações com pouca ou nenhuma relevância digital. O jornalismo plural se resumia em apurar os fatos, redigir a matéria e garantir uma foto expressiva. O primeiro sinal de mudança veio com a proposta para mudar de realidade e experimentar um formato diferente de produzir. Daí pra frente, as particularidades do universo do marketing se tornaram permanentes. Ah! Também me formei em Direito (com inscrição na OAB e tudo). Mas nem tudo se resume às minhas habilidades profissionais. Como produtora de conteúdo, me interesso por boas histórias, de pessoas reais ou em séries, filmes e livros, especialmente distopias. Gosto de montar roteiros de viagens e reconhecer estrelas e constelações em um aplicativo no celular. Museus, música e arte no geral chamam minha atenção, assim como cultura pop.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here