Você gasta sua energia lutando contra os seus sentimentos?

A capacidade de fazer gestão dos próprios sentimentos é importante para aqueles dias em que precisamos lidar com emoções negativas. Seja por um desequilíbrio na economia pessoal, acontecimentos mundiais ou relacionamentos cada vez mais polarizados – condicionados por crenças ou opiniões – esse “mood” pessimista acontece com qualquer pessoa, sem exceção.

Geralmente, quando estamos “mais para baixo”, alguns sinais servem de alerta, como o sentimento de insuficiência, assimilação de problemas, dificuldade em achar soluções, paranoias com relação a comportamentos de terceiros, incapacidade de aceitar elogios e preocupação excessiva com coisas pequenas.

“É sabido que sensações assim atraem coisas negativas, pela lei da troca e atração de energia. A grande questão é: como nos desfazer desse sentimento? Muitas vezes ele cresce sem que possamos controlar, mas, a partir do momento que tomamos consciência desse estado, podemos tomar atitudes para mudar o rumo das coisas”, explica a psicóloga Gabriela Pinese.

Mudança de comportamento

Apesar de estarem presentes ao longo da vida, os sentimentos negativos não devem ser nada além de um estado passageiro. Encontrar-se com si mesmo e compreender os próprios sentimentos é apenas o primeiro passo para evitar se apoiar somente em emoções negativas.

“Por isso é importante se cercar de coisas boas, como olhar para dentro de si e buscar as coisas que você de fato gosta e descobrir novas realizações em coisas que você nunca se permitiu antes. Nesse processo, é bastante indicado fazer uma atividade física, como yoga e meditação, pois são bastante reflexivas”, recomenda.

É durante a fase de mentalização que a razão e sentimentos positivos alimentam as motivações para a mudança de comportamento. Bloquear e saber sair de situações que envolvam sentimentos e até ocorrências ruins é um exercício constante.

Nesse sentido, pesar os motivos que despertam a negatividade se torna útil. Alguns exemplos são pessoas também negativas, canais de comunicação e informação em excesso, atividades da rotina e até mesmo do trabalho que não geram recompensas, como satisfação ao concluir e feedbacks de desempenho.

“Dessa forma nós tiramos da nossa rotina aquilo que nos deixa pra baixo, que leva nosso pensamento para lugares obscuros e nos torna negativos”, ressalta Gabriela. Se excluir o que faz mal não for suficiente, ou possível, é necessário que ao menos haja uma tentativa de mudança.

Zona de conforto

Gabriela adverte ainda para algo bastante conhecido: nenhuma mudança é fácil, por mais que pareça. Toda transição nos tira da comodidade, inclusive aquela que acontece para o nosso próprio bem, e isso pode gerar medo.

Para ela, qualquer tentativa de mudança precisa vir acompanhada de consciência sobre o que é preciso mudar. “A partir disso podemos fazer uma análise do quanto essa mudança vai nos custar (pois toda mudança nos coloca para fora de nossa zona de conforto e isso é difícil de início) e principalmente mentalizar o que ela pode nos trazer de bom”, pontua.

Finalmente, ela reforça que essas ações são parte de um processo de mudança de hábitos que podem ser praticadas sozinhas. Entretanto, buscar ajuda profissional também acrescenta mais compreensão sobre novas maneiras de lidar com os próprios sentimentos.

Se quiser começar

Assim como indicado pela profissional, meditação e yoga são atividades complementares para quem busca entender melhor os próprios sentimentos e deseja tirar um tempo para “olhar para dentro”. Abaixo separamos alguns aplicativos para começar essas práticas em casa.

Yoga

  • 5 Minute Yoga Workouts: ideal para iniciantes, este app toma apenas cinco minutos com uma série de poses (asanas) rápidas e simples.
  • Daily Yoga: conhecido como a bíblia da yoga, o aplicativo possui mais de 500 asanas e mais de 200 aulas guiadas de pilates e meditação.
  • Yoga Studio: neste aplicativo o usuário só precisa de wifi uma vez para personalizar as aulas com as posições favoritas. As instruções variam de cinco minutos a uma hora, com meditação que auxilia na concentração e respiração.

Meditação e mindfulness

  • Headspace: com apenas alguns minutos por dia é possível aproveitar sessões sobre saúde física, desenvolvimento pessoal, concentração, gerenciamento do estresse e alívio da ansiedade.
  • Calm: destinado para quem deseja meditar e melhorar a qualidade do sono. Ele apresenta programas de respiração, masterclasses e músicas relaxantes, além de ser recomendado por profissionais da área da saúde.
  • Stop, breathe & think: desenvolvido para trabalhar a atenção plena e relaxamento, o app ajuda na melhora do sono e a criar confiança emocional para lidar com os altos e baixos da vida.

E você, como lida com os seus sentimentos? Compartilhe com a gente alguns métodos nos comentários 😊

Autor (a)

Ana Rízia Caldeira
Boa ouvinte, aprecio demais os momentos em que posso ver o mundo e conhecer as coisas pelas palavras das outras pessoas. Não por menos, entrei para o jornalismo. E além de trazer conteúdos para o Next, utilizo minhas habilidades de apuração e escuta para flertar com a mini carreira de apresentadora nos stories do MBA USP/Esalq, no quadro Você no Camarim. Quando não estou me ocupando em ser a garota dos textos e do Instagram, gosto de usar meu tempo para devorar livros, acompanhar algum bom filme, enfeitar minha casa com tapetes de crochê, desenhar flores e abusar dos meus dotes na cozinha.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here