Habilidades híbridas: como ser o profissional do futuro?

Multitarefas ou multifuncional. Essas são as descrições sinônimas de um profissional com habilidades híbridas, um perfil que está nas demandas do mercado de trabalho e tem tudo para permanecer.

O termo é usado para descrever pessoas que aplicam conhecimentos de áreas correlatas daquela em que são especialistas. Isso significa um profissional preparado para oferecer uma visão sistêmica do negócio, algo que geralmente é uma característica dos CEOs.

Diferente de alguém sobrecarregado, que faz muitas coisas, mas não consegue ser especialista em nenhuma delas, um profissional com habilidades híbridas está sempre em busca do conhecimento para aprimorar suas competências dentro da área de atuação na empresa.

Esse tipo de perfil agrega múltiplas perspectivas na atividade que exerce, ao mesmo tempo em consegue conectar pontos de outras áreas. No campo de desenvolvimento estratégico dos talentos das empresas, esse conhecimento amplo concede benefícios para todas as áreas de um negócio, uma vez que elas terão ligações entre si.

Depende só de você

Por ser uma demanda do mercado, as habilidades híbridas ganharam força nos últimos anos. Para o profissional que deseja crescer na carreira ou até mesmo chegar a um cargo de gestão, apostar no amadurecimento desse perfil contribui para a própria formação e desenvolvimento.

Os conhecimentos de um profissional híbrido conectam as perspectivas internas e externas, especialmente porque ele está condicionado a tentar aprender constantemente. Essa é uma carta na manga para empresas que precisam de pessoas com soluções baseadas em um ponto de vista ainda não levantado.

Quando falamos sobre as habilidades que compõem um perfil de trabalho híbrido, vale ressaltar as seguintes atitudes:

  • Abertura para experimentar novas tecnologias
  • Convivência com pessoas igualmente atualizadas
  • Participação em eventos de inovação
  • Interesse em estudar de forma contínua
  • Fazer cursos voltados para o digital (de curta ou média duração)
  • Aprender a ser flexível e colaborativo
  • Usar a internet como ferramenta de estudo e buscar por curso e palestras neste ambiente
  • Dialogar com pessoas diferentes, seja em idade, perfil ou preferências
  • Sair da zona de conforto e participar de projetos novos, mesmo que de áreas diferentes
  • Aprender sobre as metodologias ágeis, dados e experiência do usuário
  • Aceitar erros como parte do aprendizado
  • Usar a criatividade para resolver problemas
  • Desenvolver destreza digital
  • Exercitar a escuta ativa e empatia
  • Aceitar mudanças olhando para os pontos de forma positiva 

Mundo 4.0

Vivemos as transformações digitais e sociais. No mundo 4.0, isso não significa desemprego, mas uma diminuição de vagas em trabalhos muito mecânicos. Será necessário cada vez mais pessoas capacitadas para interpretar dados gerados pelos sistemas.

Essa é apenas uma das principais competências técnicas que fazem parte de um profissional híbrido e, assim como muitas outras, requer constante atualização por parte daqueles que desejam estar sempre bem colocados no mercado de trabalho.

Atualmente, as habilidades híbridas, quando aliadas aos conhecimentos técnicos, são capazes de preencher uma lacuna de produtividade e decisões assertivas dentro da maioria das empresas.

Falando em técnica, esses são os conhecimentos mais procurados pelo mercado nos últimos três anos:

  • Análise estatística de dados
  • Machine learning e inteligência artificial
  • Inteligência de negócio
  • Gestão de produtos digitais
  • Design centrado no usuário
  • SEO e marketing de busca
  • Middleware e integração de software
  • Sistemas e gestão de armazenamento
  • Programação para celular
  • Redes e segurança da informação
  • Desenho de algoritmos
  • Linguagens Perl, Python e Ruby

Lembrando que esses conhecimentos devem estar alinhados à área de conhecimento, uma vez que trazem novas formas de se interpretar ou traçar uma estratégia.

Atual

Ao falar sobre um perfil profissional híbrido é importante lembrar que não existe, do outro lado, um perfil específico de empresa que procura por esse candidato. Isso depende muito da cultura e aplicação da inovação dentro de cada organização.

A resistência em adotar essa evolução de funcionários acontece muito em empresas que ainda prezam pela hierarquização, em que as funções são definidas e se mantêm estagnadas.

Para aqueles com oportunidade de trabalhar nas organizações que apoiam a evolução por meio das competências multifuncionais, vale ressaltar que, ao mesmo tempo em que se procura a especialização em mais de uma função, não se deve esquecer das atualizações na área em que já é especialista. Dessa forma, o profissional não se torna generalista e mantém as qualidades pela qual foi contratado.

A chave para o sucesso dentro do mercado atual está na ligação mais coerente entre as competências técnicas e soft skills. E para se adequar a realidade, nada melhor do que dominar a digitalização dos processos e serviços, além de se engajar com diferentes áreas de conhecimento. Um exemplo disso está na aplicação de gestão de projetos em áreas distintas de uma empresa, como recursos humanos, marketing e inteligência de mercado.

Falando em profissional do futuro, conheça também os detalhes de como será a entrevista de emprego do futuro.

Autor (a)

Ana Rízia Caldeira
Boa ouvinte, aprecio demais os momentos em que posso ver o mundo e conhecer as coisas pelas palavras das outras pessoas. Não por menos, entrei para o jornalismo. E além de trazer conteúdos para o Next, utilizo minhas habilidades de apuração e escuta para flertar com a mini carreira de apresentadora nos stories do MBA USP/Esalq, no quadro Você no Camarim. Quando não estou me ocupando em ser a garota dos textos e do Instagram, gosto de usar meu tempo para devorar livros, acompanhar algum bom filme, enfeitar minha casa com tapetes de crochê, desenhar flores e abusar dos meus dotes na cozinha.

Compartilhar