Perennials e a nova forma de segmentar gerações

A segmentação de gerações é uma mão na roda para classificar os períodos históricos, incluindo seus principais eventos e inovações tecnológicas. Até então, as pessoas se dividiam entre Millennials, Baby Boomers e Geração X. Você, inclusive, se identifica com alguma delas. Ou, quem sabe, também se encaixa na descrição dos Perennials.

Conhecida também como Ageless Generation, ou Geração Sem Idade, ela caracteriza o comportamento de quem não se encaixa nas descrições das gerações anteriores. Afinal, a idade parece não ser mais o melhor fator para determinar os traços de personalidade e estilo de vida de uma pessoa.

No conceito dos Perennials, que tem a tradução literal para perenes, existe uma oposição clara à tendência de categorizar as gerações pela idade e características do seu tempo. Os Perennials são pessoas de todas as idades, que vivem o presente, adotam a tecnologia e têm relações sociais com outras faixas etárias.

“Devido à nossa longevidade e até a rapidez com que várias pessoas se atualizam, temos naturalmente os comportamentos Ageless. Notamos isso em uma academia, por exemplo, que é frequentada por pessoas de várias idades, no uso de celulares e computadores e até mesmo com alguns tipos de festas e músicos, que conseguem reunir desde adolescentes até a terceira idade”, comenta Fábio Mariano Borges, professor dos MBAs USP/Esalq e especialista em comportamento do consumidor.

Comportamento

Comparados com a população em geral, esse grupo também apresenta potenciais consumidores, com a diferença na capacidade ampliada de influenciar os demais. Geralmente, as relações são construídas a partir do interesse em comum, proximidade física e grau de parentesco. Portanto, Perennials se relacionam por influência da identidade e não da idade.

“Antes identificávamos comportamentos e atitudes guiados por uma faixa etária. Percebemos que existem comportamentos comuns em qualquer idade e isso acontece, principalmente, porque temos cada vez mais uma tendência de diminuir e até evitar o choque entre gerações”, explica o professor.

Aliás, diferente das demais segmentações, a definição dos Perennials leva em conta características que são mais voltadas para a identificação social, considerando o íntimo daqueles que pertencem a esse grupo, uma vez que eles usam a tecnologia, principalmente a internet, para buscar por informações relevantes e sanar suas maiores preocupações, como o que poderiam comer na próxima refeição. 

Hábitos

Um octogenário no corpo de 20. É assim que muitos se reconhecem e, brincadeiras à parte, reflete bem a realidade dos Milennials, que dão preferência por aproveitar a noite em casa. A principal razão para isso é a falta de vontade de socializar, necessidade de uma boa noite de sono, interesse de assistir um filme ou série na TV e até vontade de evitar os resultados negativos de uma noitada.

Com os Perennials, a história não chega a ser diferente, uma vez que eles dão muito valor aos hábitos caseiros e facilidades dos streamings. Eles também adoram consumir itens que aumentam a comodidade de casa, adquirindo cada vez mais eletrodomésticos, utensílios de cozinha e até games.

No geral, os Ageless estão mais interessados nos próximos lançamentos das suas mídias favoritas do que uma festa movimentada. Nessa questão, eles dão mais preferência para conteúdos informativos, como os documentários, e menos para os de entretenimento – mas não deixam de conferir e acompanhar as novidades dessa fração.

Segmentação dos Perennials

Quando o assunto é segmentação de público, as marcas devem se orientar especialmente no comportamento do consumidor pelo seu estilo de vida e não pela sua idade. Outro ponto de atenção são os canais de comunicação, ainda mais com a queda de audiência da TV e do rádio, por exemplo.

Primeiro, é preciso saber que esse grupo tem participação mais comunitária e estão engajados com causas sociais. Podem ser pessoas que pertencem aos Baby Boomers, gerações X, Y ou Z e mesmo assim se sentem próximos, praticando a inclusão e frequentando outros grupos.

Em relação às marcas e produtos, eles possuem uma visão objetiva e tendem a priorizar quem defende causas sociais ou culturais. Isso pode explicar a liderança nas conexões e popularidade que a Amazon e Netflix conseguiram criar, uma vez que optaram por segmentar seus produtos conforme o comportamento e estilos de vida da sua audiência.

“O que importa aqui é a mentalidade. Entender como se comunicar de uma forma contemporânea, com uma linguagem adequada para o século 21, vale mais quando desejamos entender e conquistar esse grupo”, observa Borges.

Para se comunicar com os Perennials, uma marca deve rever as estratégias de posicionamento, começando por ampliar suas possibilidades nas mídias disponíveis. Os Ageless não estão tão próximos da televisão, mas querem estar informados o tempo todo. Explorar outras formas de se comunicar, acompanhar as atualizações sociais e saber se encaixar nelas é o caminho para ser relevante no mercado. 

Gostou? Você também pode se interessar em saber como hábitos digitais interferem na memória e senso crítico.

Autor (a)

Ana Rízia Caldeira
Boa ouvinte, aprecio demais os momentos em que posso ver o mundo e conhecer as coisas pelas palavras das outras pessoas. Não por menos, entrei para o jornalismo. E além de trazer conteúdos para o Next, utilizo minhas habilidades de apuração e escuta para flertar com a mini carreira de apresentadora nos stories do MBA USP/Esalq, no quadro Você no Camarim. Quando não estou me ocupando em ser a garota dos textos e do Instagram, gosto de usar meu tempo para devorar livros, acompanhar algum bom filme, enfeitar minha casa com tapetes de crochê, desenhar flores e abusar dos meus dotes na cozinha.

Compartilhar