7 dicas para o uso saudável e consciente do celular

A postura do ser humano mudou nos últimos anos. Estamos com a cabeça mais inclinada para baixo e estudos da SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia) indicam que isso ocorre por falta do uso saudável e consciente do celular.  

A praticidade que os dispositivos móveis trouxeram para nossas vidas é inegável. Com apenas um clique podemos interagir com amigos e familiares, compartilhar momentos, fazer pedidos em restaurantes, assistir a um filme, agendar compromissos, além de outras listas de possibilidades.

As principais tendências tecnológicas apontam que, muito em breve, tudo isso poderá ser feito por meio da voz, com os assistentes inteligentes que estão ganhando espaço no mercado.

Contudo, enquanto isso não acontece, precisamos ficar atentos às consequências desse uso descontrolado – e até irresponsável – de smartphones. E elas não são apenas físicas ou sempre visíveis, como no caso da nossa postura.

Os resultados dessa rotina englobam desde diminuição da nossa capacidade de memorização, menor concentração e baixo rendimento até doenças como ansiedade e síndrome do pensamento acelerado, além de conflitos pessoais e profissionais.

Com raras exceções, checar as mensagens e novidades na telinha é a primeira coisa que fazemos ao acordar e a última antes de dormir. O acesso às redes sociais substituiu, por exemplo, a leitura de um livro ou as visitas aos amigos.

Por isso é necessário manter o uso saudável e consciente do celular. Confira algumas dicas que o Blog Next separou para te ajudar nessa tarefa!

Não monopolize o entretenimento

Quando se sentir entediado, não corra para o celular. O tédio é uma fase do cansaço que aparece quando estamos desocupados ou sem interesse na atividade que estamos desempenhando. Para desconectar um pouco do ambiente a nossa volta, parece uma boa ideia buscar por entretenimento e lazer no celular.

Porém, o tédio pode ser um ótimo momento para você exercitar sua criatividade e espontaneidade. E você dificilmente terá essa oportunidade se apelar para o smartphone ao primeiro sinal de tédio.

Desapegue das notificações

Ativar as notificações para novas mensagens ou publicações nas redes sociais é muito prático. Mas quem está buscando o uso saudável e consciente do celular pode tentar, por exemplo, desativar esses alertas e verificar as notificações no fim do dia.

Toda vez que você interrompe as atividades por conta de uma notificação, você é puxado para fora da vida real. E isso pode ser bem inconveniente para quem está te acompanhando em alguma situação social.

Selecione melhor seus aplicativos

Fazer uma limpeza geral para se organizar é sempre uma boa ideia. Então, por que não colocar isso em prática com os aplicativos do seu celular? Avalie o que você realmente usa e quais são necessários ou bons, como câmera e GPS.

Alguns aplicativos dão a sensação de que estamos aproveitando o máximo que nosso smartphone pode oferecer, mas vale analisar se eles têm, de fato, utilidade. Essa seleção ajuda a diminuir as distrações e o uso excessivo, além de melhorar o desempenho do aparelho.

Cuidados com os joguinhos

Os jogos para celular são mais baratos dos que os destinados a console e computadores. Também não exigem a aquisição de um equipamento adicionais, como controles e os próprios consoles. Com tudo isso, eles podem até ser considerados um bônus no seu aparelho, mas carregam um problema grave: estão sempre com você.

Com a possibilidade de jogar em qualquer lugar e a qualquer momento, o uso saudável e consciente do celular fica cada vez mais difícil de alcançar. Pense quantas coisas você poderia ter feito (ou mesmo descansado) enquanto ficou ligado no smartphone.

Altere a fonte de conteúdo

Você é da época em que a vida acadêmica era pautada por grandes e pesados livros de pesquisa? As famosas enciclopédias Barsa eram as principais fontes de busca muito antes do Google e do Wikipedia. Agora, o conteúdo cabe todo na palma da mão e pode ser acessado em segundos. Ele é produzido para ser consumido rapidamente e isso implica, também, na diminuição na nossa capacidade de reter o conhecimento.

Como é praticamente impossível abrir mão das buscas online, um caminho é realmente ler os artigos mais longos que, comumente, você pularia. Mesmo que para isso você salve para ler numa tela maior, como a de um computador.

Diversifique o dispositivo

O celular, hoje, substitui muitos aparelhos, como computador, livros, players de música, GPS, câmera, televisão, despertador, rádio, calculadora entre outros dispositivos. Mas isso não quer dizer que essa realidade precisa continuar assim.

Por mais que pareça uma boa economia de espaço e redução de custos, você pode não estar utilizando seu tempo livre da melhor forma possível. Diversificar os dispositivos deixa tudo mais dinâmico e pode ser mais relaxante, porque diminui a obsessão com um único aparelho.

Mindfulness

Pode parecer que não tem nada a ver, mas a atenção plena, ou a famosa mindfulness, serve para te manter com consciência de onde você está, com quem você está e o que você está fazendo. Basicamente, se você não está sozinho, não deveria estar no celular.

Que tal resgatar o hábito de se entregar completamente à atividade e às pessoas que estão ao seu redor?

Você consegue colocar algumas dessas dicas em prática e melhorar o uso saudável e consciente do celular? Comente!

Autor (a)

Marina Petrocelli
Mais de 12 anos se passaram desde minha primeira experiência com Comunicação Social. Meus primeiros anos profissionais foram dedicados às rotinas de redações com pouca ou nenhuma relevância digital. O jornalismo plural se resumia em apurar os fatos, redigir a matéria e garantir uma foto expressiva. O primeiro sinal de mudança veio com a proposta para mudar de realidade e experimentar um formato diferente de produzir. Daí pra frente, as particularidades do universo do marketing se tornaram permanentes. Ah! Também me formei em Direito (com inscrição na OAB e tudo). Mas nem tudo se resume às minhas habilidades profissionais. Como produtora de conteúdo, me interesso por boas histórias, de pessoas reais ou em séries, filmes e livros, especialmente distopias. Gosto de montar roteiros de viagens e reconhecer estrelas e constelações em um aplicativo no celular. Museus, música e arte no geral chamam minha atenção, assim como cultura pop.

Compartilhar