Economia Circular é tema de palestra do XII Evento SIM

economia circular

Você sabe o que é Economia Circular? O conceito é tema de uma palestra no XII Evento SIM, que ocorre dias 20 e 21 de julho na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) em Piracicaba (SP). Antes de falar sobre esse modelo econômico, porém, é preciso entender o que é adotado atualmente.

A Economia Circular se contrapõe à Economia Linear, que é baseada em um fluxo de produção com início e fim. Há a extração ou obtenção da matéria-prima, processamento, confecção do produto, comercialização, utilização e, por último, o descarte.

A maior questão relacionada a esse modelo econômico são os impactos no meio ambiente. “Além de extrair muitos produtos sem a devida reposição ou regeneração, por exemplo os minérios, também gera um acúmulo de resíduos no final da vida útil dos produtos”, argumenta o responsável pela palestra no SIM Evandro Campos.

Isso quer dizer que a Economia Linear, embora seja o convencional hoje em dia, é insustentável a longo prazo. Como exemplo, Campos citou o surgimento de lixões, equipamentos eletrônicos na natureza e os canudos de plástico no mar, que prejudicam a fauna e são muito polêmicos atualmente.

Uma saída sustentável

Em contrapartida ao que acontece hoje, surge a Economia Circular, um modelo que visa o reaproveitamento ou reinserção dos resíduos de um produto na linha de produção – que não é mais um fluxo com início e fim, mas um ciclo. “O principal entendimento é que, se há resíduo no final, temos um erro de projeto”, explica o palestrante.

Apesar de na teoria ser uma boa saída em razão dos resíduos, para adotar esse modelo na prática é preciso que haja muitas transformações no padrão de produção, consumo e descarte. “Trata-se de uma mudança sistêmica, envolvendo cada vez mais inovação e criatividade, havendo infinitas oportunidades de repensar e redesenhar a forma de produzir”, esclarece.

Existem empresas que já adotam características do modelo de Economia Circular, como a Nespresso que reaproveita as cápsulas de café. Outra que faz uma campanha parecida é O Boticário, que incentiva os clientes a devolverem as embalagens às lojas. Depois elas são encaminhadas para serem recicladas ou reutilizadas.

Economia Circular na base

Para adotar o modelo de Economia Circular, a base da cadeia produtiva deve ser modificada. É preciso pensar na utilização de materiais que poderão ser reinseridos no processo posteriormente e, ainda, que não extraiam mais recursos naturais do que é possível repor a curto e médio prazo.

A Economia Circular é, acima de tudo, a mudança na maneira de pensar a produção e utilização de produtos e recursos naturais. Apesar disso, algumas iniciativas pequenas ajudam muito no sentido de reutilizar e reciclar. Por exemplo os brechós, que incentivam a ideia de usar uma roupa e passar para frente quando não quiser mais, em vez de jogar fora.

A quantidade de brechós cresceu muito nos últimos anos, assim como a motivação deles: reutilizar e diminuir o consumo. A ideia de consumir somente o necessário e reaproveitar o que seria lixo já vem sendo disseminada. Isso é um começo para trazer o modelo de Economia Circular e viabilizá-lo, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido.

A palestra

Bancário, graduado em Administração de Empresas e pós-graduado em Finanças e Análise de Sistemas, Evandro Campos também é aluno do MBA USP/Esalq em Agronegócios e palestrante do XII Evento SIM. Ele atua com Economia Circular dentro de seus segmentos.

Durante a palestra, ele aborda a conceituação dos dois modelos de economia, circular e linear. Além disso, também demonstra as consequências no meio ambiente se não houver mudanças na produção atual.

“Vou falar sobre seca, tempestades, migração populacional, desperdício de alimentos, sustentabilidade, acúmulo de resíduos sólidos (lixo), efeitos climáticos, entre tantos outros fatores. Mas o importante é destacar que todos eles causam impactos econômicos para todos, mesmo que nem sempre quem provocou o efeito recebe as consequências. Isso é demonstrado pelos efeitos climáticos e lixos nos oceanos.”

Depois da explicação, Campos vai mostrar exemplos de empresas que já atuam com a Economia Circular para justificar que é um modelo possível de ser adotado.

Fique atento: A palestra “Economia Circular” ocorre dia 20 de julho, das 15h às 16h, no campus Esalq/USP em Piracicaba (SP). Quer participar do evento? As inscrições podem ser feitas aqui.