7 livros que vão complementar seu repertório cultural

livros aumentam conhecimento

Você é do tipo de pessoa que busca conhecimento e soluções através da leitura? Se interessa por aquele lançamento em áreas específicas de atuação ou tira lições até mesmo das literaturas de ficção?

Ter um repertório cultural amplo faz bem para a vida pessoal e profissional. Por meio da leitura, acrescentamos mais ao nosso vocabulário e conhecimento técnico ou prático. Pensando nisso, separamos sete livros que vão ajudar a complementar o repertório cultural, cada um prezando uma habilidade ou necessidade diferente. Boa leitura!

Para despertar a mente

Esqueça jogos da mente ou charadas difíceis de resolver. O livro Gödel, Escher, Bach, de autoria do acadêmico norte-americano Douglas Hofstadter, é diferente de tudo que já se viu. Publicado em 1979, essa obra é divertida e, ao contrário do que sugere o título, não é sobre o matemático, artista e músico do título.

A obra entra para a classificação de assuntos relacionados à consciência e inteligência, mas vai muito além disso. Ela foca em tópicos diversos sobre fugas, lógica, verdade, geometria, recorrência, paradoxos, estruturas de sintaxe, holismo, budismo, cérebro e mente, código genético, criatividade, arte, música computadores e suas linguagens, dentre muitos outros assuntos. Ufa!

Apesar do “nó” que pode dar na mente, a leitura desafiadora leva a explorações incríveis. Pode um sistema compreender a si mesmo? Essa é uma das questões que surgem ao longo do volume e que “ligam” a chave do pensamento científico, artístico e até filosófico.

Para saber um pouco sobre quase tudo

Ciência é sempre cercada de curiosidade. Curiosidade é uma característica extremamente humana. E para alimentar os curiosos, o livro Uma Breve História de Quase Tudo, de Bill Bryson, relata cada uma das maiores descobertas cientificas.

Se engana quem acha que esse é mais um livro de histórias didáticas. O autor inclui personagens, lendas e até anedotas que levaram aos fatos, tornando a leitura divertida e fascinante.

Em uma linha do tempo, Bryson explica desde a origem do universo e segue até os dias de hoje, abordando assuntos relacionados à física, geologia, paleontologia e todas as outras disciplinas que considerava “chatas” na escola.

Para entender melhor de finanças

Educação e saúde financeira é um desejo que quase todas as pessoas possuem. Saiba Mais Para Gastar Menos é o livro para aqueles que vivem no vermelho. Escrito ela consultora financeira Elaine Toledo, ele reúne dicas que incentivam uma melhor decisão sobre as prioridades e gastos no padrão de vida pessoal.

Mas não basta decidir o que fazer com o dinheiro. Elaine vai muito além e nos leva a uma reflexão sobre ganhos e gastos. Um dos primeiros passos é ser realista, só assim para iniciar a jornada de exercícios práticos que a consultora indica para aqueles que desejam sair do buraco.

Além das economias mensais, destino do salário e diminuição dos gastos, ela explica, ainda, as últimas atualizações nas regras da poupança e traz um capítulo inteiro tratando do tema da sustentabilidade financeira.

Para se comunicar melhor

“Tenho boas ideias, mas não sei expressá-las para convencer alguém de que são realmente boas”. Esse dilema é vivido por muitas pessoas, inclusive no ambiente corporativo. Quando uma estratégia inovadora surge, mas não é bem “vendida”, a equipe insistirá em seguir velhas fórmulas.

É nesse ambiente que uma boa comunicação pode ser aliada. Por isso, em Todos se Comunicam, Poucos se Conectam, do palestrante e escritor John C. Maxwell, são apresentados bom princípios e práticas da conexão. Todo o processo é baseado em sua própria experiência em se comunicar com o público de forma eficiente e segura.

Para Maxwell, as habilidades pessoais para promover mudanças e gerar resultados em qualquer organização estão diretamente ligadas ao uso da capacidade de fazer conexões produtivas e duradouras com as pessoas. Nessa leitura, ele nos guia para desenvolver exatamente essa habilidade.

Para entender política

Por que as Nações Fracassam? As Origens do Poder, da Prosperidade e da Pobreza resume a agenda de pesquisa de mais de uma década dos autores Daron Acemoglu e James Robinson. Ambos buscaram entender como a formação institucional dos países e eventos históricos afetam o desenvolvimento de longo prazo.

Aos curiosos, entusiasta ou até mesmo entendidos de política, que desejam aumentar seu repertório cultural, essa leitura pode ser bem aproveitada por conta dos exemplos ricos sobre as instituições econômicas e políticas.

A ideia básica do livro é que aspectos históricos levam a criação de instituições que podem ajudar ou atrapalhar os países a adotarem políticas que geram crescimento econômico e distribuição mais igualitária do progresso.

Para apreciar ficção

Algumas vezes queremos ler apenas por distração e divertimento. Uma boa aposta são os livros de ficção, mas que contam com retratos da vida real. Esse é o exemplo de Suave é a Noite, do conhecido autor americano F. Scott Fitzgerald.

Conhecido por despertar a nostalgia dos melancólicos anos que antecederam a grande depressão dos Estados Unidos, nesta obra Fitzgerald narra a rotina ociosa dos ricos americanos que se lançaram na Europa para interagir com nobres decadentes.

Entre recepções, passeios, compras sem limites de preço e sob a falsa euforia dos personagens, ele capta com profundidade a carga de tédio, frustração e sofrimento que habita cada um. Além do retrato de uma época, o livro foi um dos primeiros a tratar da recém-inventada psicanálise.

Para mudar alguns costumes

Esta é uma obra coringa para estudiosos e curiosos. O Poder do Hábito, Charles Duhigg, é um verdadeiro manual contra a procrastinação. Isso porque ele nos leva a questionar sobre nossos hábitos e como eles afetam nossa produtividade.

O best-seller é mais do que apenas um livro sobre porque fazemos o que fazemos. É um manual sobre nossos hábitos, suas origens biológicas e como usar a psicologia e a biologia evolutiva para substituir os maus hábitos que impedem o nosso sucesso.

Portanto, para aqueles que se sentem desorganizados na vida pessoal e profissional, mudar esse hábito é possível. A obra é um convite à reeducação, mudança e correção de costumes e comportamentos já naturalizados na vida.

Você também tem um livro que acrescentou na sua experiência cultura? Indique-o nos comentários!