Como usar a análise SWOT para desenvolvimento pessoal?

análise ajuda na carreira

Pense rápido: quais são suas maiores forças e fraquezas pessoais atualmente? Você consegue se lembrar da última vez que precisou tomar uma decisão importante usando essas forças e fraquezas? Nesse momento, provavelmente teve que pensar sobre os prós e contras para chegar a uma conclusão.

O mesmo processo ocorre com decisões organizacionais, só que em maior escala. Para avaliar a situação de um negócio, muitas empresas utilizam a análise SWOT, sigla em inglês que significa Forças (Strengths), Fraquezas (Weakness), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats).

Muito utilizada no planejamento estratégico das empresas ou de novos projetos, ela serve para embasar a tomada de decisões. Por outro lado, a estratégia também é uma aliada no campo pessoal. A proposta auxilia no resgate de informações pessoais importantes, como aspectos que devem melhorar e potenciais a serem desenvolvidos.

Se a dúvida ainda é sobre a efetividade da análise SWOT, vale lembrar que ela é uma aliada em desafios da carreira. Entrevista de emprego, disputa por promoção e mudança de área são alguns dos desafios que demandam um bom julgamento particular.

Concentrar nos pontos fortes e falar mais sobre cada um deles é uma ótima estratégia para se destacar em uma entrevista. No caso de uma promoção, comparar qualidades entre os candidatos ajuda a entender o que pode ser ofertado de melhor. Além disso, ao se identificar as habilidades, é possível igualar elas as oportunidades oferecidas para a carreira. Mas como tudo isso deve ser feito?

Conhecendo suas forças

Começando pelos aspectos positivos, precisamos enumerar nossos pontos fortes. Eles devem ser pensando em relação às pessoas que estão em volta, para servir de nível comparativo. Por exemplo, ser um grande músico de nada serve se outros igualmente talentosas estão próximos. Isso anula a habilidade como um bom ponto forte.

Algumas perguntas que auxiliam a encontrar novas qualidades, que realmente se destacam, são:

  • O que tenho ou faço de melhor?
  • Quais são as habilidades e capacidades mais marcantes em mim?
  • Tenho vantagens em relação a outras pessoas? (podem ser cursos, habilidades, conexões, certificações, experiências, etc.)
  • O que outras pessoas elogiam em mim?
  • Tenho uma rede de conexões realmente forte?
  • Quais são os meus talentos?
  • Tenho valores que os outros não possuem?
  • Meu nível de experiência é suficiente para ser bem-sucedido?
  • Quais cursos e especializações possuo na área pretendida?

As respostas devem ser listadas para o Strengths da análise. Caso existam mais perguntas elas podem ser adicionadas ao longo da ação. O importante é refletir com bastante atenção a cada ponto e descobrir uma resposta verdadeiramente sincera. As forças devem ser diferenciais e não apenas pontos positivos.

Aspectos negativos também contam

Para falar das Weaknesses, uma boa dose de sinceridade também é necessária. Isso porque é comum ficarmos desmotivados ao identificar algo que possa ser um ponto negativo em nós. Entretanto, vale lembrar que as fraquezas são pontos a serem melhorados, pensados dentro de uma perspectiva interna e externa.

Para isso, uma avaliação honesta começa com os seguintes pontos:

  • Tarefas que não gosto de fazer? Por quê?
  • Quais habilidades e capacidades sinto que precisam ser desenvolvidas
  • Recebi feedbacks indicando pontos de melhoria?
  • Quais comportamentos sabotam o meu sucesso?
  • Tenho alguma dificuldade técnica?
  • Onde posso melhorar?
  • O que tenho medo de fazer?
  • Tenho hábitos de trabalho negativos?
  • Minhas habilidades e qualificações são suficientes para meu sucesso atual ou futuro?

Começando a ver as vantagens

Até aqui vimos que a análise SWOT exige uma autoavaliação profunda e sincera. Ao chegar nas Opportunities, devemos levar em conta nossos valores, ideais e planos para o futuro. Ao se olhar todos os pontos dessa parte, fica mais claro como tirar vantagens deles e aplicar em uma ação de carreia. A ideia é encontrar uma nova oportunidade de emprego? Que tal pensar se:

  • Existe alguma tecnologia ou tendência que posso usar no futuro?
  • Existe algum novo projeto em que posso participar e que irá beneficiar minha carreira?
  • Posso adquirir novas habilidades para ganhar uma vantagem competitiva?
  • As pessoas me dão algum feedback sobre o que posso melhorar?
  • Frequento eventos ligados à minha área?
  • Tenho um bom networking?
  • Existem oportunidades que ninguém ainda aproveitou? Onde? Como posso tirar proveito disso?
  • Eu tenho chances de receber uma promoção?

Enfrentando os medos

É chegada a hora de pensar em todos os pontos que podem ou já prejudicam o desenvolvimento da carreira. As Threats podem ser encaradas como negativas, mas vão muito além disso. Elas apontam quais fatores externos estão barrando as grandes chances ou impedindo que objetivos e metas se concretizem.

Para identificar, existe também uma lista de perguntas que irão gerar a quarta parte importante de uma análise SWOT:

  • Qual é o maior perigo para os meus objetivos?
  • Alguma pessoa próxima a mim faz o meu trabalho melhor?
  • Meus traços pessoais interferem no avanço da carreira?
  • Que obstáculos me impedem de chegar aos meus objetivos?
  • Como anda a concorrência em minha área de formação?
  • Meus conhecimentos são suficientes para atender à vaga que ocupo?
  • A falta de conhecimentos e atualização tecnológica pode ameaçar meu cargo?
  • Minha área pode ter contratações terceirizadas?
  • Por conta disso, meus pontos fracos podem ameaçar ainda mais minha carreira?
  • Atualmente tenho plano de carreira na empresa em que estou?

Tenha um plano de ação

Após analisar cada ponto e organizar as respostas em um quadro, vale a pena pedir para alguém de confiança validar os resultados. Por temos a tendência de ser mais pessimistas ou otimistas quanto à realidade, uma segunda opinião trará mais observações.

Uma visão sincera abrirá novos ângulos de visão e, possivelmente, de ação. A análise SWOT é um método para focar nas forças, mas, ao mesmo tempo, oferece oportunidades para minimizar fraquezas. Quando realizada de forma objetiva, servirá de indicador para criar possibilidades. Com um olhar mais honesto, somos capazes de enxergar melhor a realidade antes de tomar qualquer decisão importante.

Você já conhecia a análise SWOT? Em quais situações você usa ou usou?