Ela é do Agro! Um Instagram, uma mulher e muita inspiração

A participação da mulher no mercado de trabalho por muito tempo teve área e função definida. Porém, mudanças nas estruturas culturais e sociais vêm abrindo portas, ainda que de forma lenta, para que ela tenha maior papel dentro das forças de trabalho, inclusive em áreas reconhecidamente dominadas pela presença masculina.

Nos dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), entre 2002 e 2015 a TPFT (Taxa de Participação Feminina na Força de Trabalho) cresceu aproximadamente 3 pontos percentuais, chegando a 40% em 2015.
O agronegócio é um dos setores com participação feminina relativamente baixa. Mas, apesar de ainda ser predominantemente masculino e cheio de obstáculos, esse meio teve crescimento na presença e atuação da mulher, inclusive em postos de liderança.

“Cada vez mais as mulheres estão inseridas nos processos de tomadas de decisão e são conselheiras. Temos o exemplo da Ministra da Agricultura, a Sra. Tereza Cristina, que ocupa um alto cargo governamental”, comenta Aretuza Negri, idealizadora do perfil Ela é do Agro!, no Instagram.

Para ela, mais relevante que os desafios e obstáculos é o fato de as mulheres do agro estarem cada vez mais empoderadas, a ponto de não se intimidarem diante de situações em que ocorre preconceito de gênero. “Fiz MBA em Gestão de Pessoas e, na época, já se falava bastante da questão da mulher em cargos de liderança, isso em virtude da desenvoltura e habilidade diplomática dela”, completa.

Empodera, agro

Diante desse contexto, o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, deu continuidade a uma série de estudos referentes ao mercado de trabalho do agronegócio. Divulgado no final de 2018, o resultado mostra uma diminuição da atuação do homem no setor de 11,6%, enquanto que a presença da mulher trabalhando no agronegócio apresentou aumento em 8,3%.

Outro estudo divulgado pela Abag (Associação Brasileira do Agronegócio) aponta que, com uma maior participação da mulher no agronegócio, o setor se tornou mais inovador e comunicativo. “A mulher é mais adepta ao uso de novas tecnologias no setor e essa pesquisa mostrou que também são muito interessadas em aprender sobre o assunto”, observa Aretuza.

Segundo ela, as seguidoras do Ela é do Agro! enviam mensagens de forma constante para saber como alcançar destaque no meio agro. “Meu conselho, além de ter paixão pelo que faz, é que elas estudem, que façam uma autoavaliação, procurem identificar seus pontos fortes e fracos. Só assim o caminho terá menos obstáculos”, explica.

Apesar do termo empoderamento, Aretuza prefere dizer que seu perfil serve como motivador. “As mulheres do agro estão cada dia mais empoderadas, elas já sabem o que desejam e buscam mais conhecimento”, explica.

Pelo fato de não ser formada em ciências agrárias, o perfil colaborou ainda mais para trazer inspiração a seguidoras que também se enquadram no caso: têm paixão por um segmento, mas não atuam nele.

“Procuro trazer histórias de mulheres que são ou não formadas na área e que atuam no setor. Muitas das seguidoras enxergam a trajetória de vida dessas ‘agroinspiradoras’ como uma luz no fim do túnel e ampliam suas perspectivas em relação às possibilidades de desempenhar algum papel no setor”, ressalta.

Quem é o Ela?

Formada em Serviço Social, foi nas redes sociais que Aretuza viu a oportunidade de estar mais próxima da verdadeira paixão. “Desde o berço aprendi sobre o valor e respeito pela terra. Sou neta de lavradores e cresci ouvindo histórias sobre o setor sucroenergético, devido à profissão do meu pai”, conta.

Após anos operando na área social e jurídica, ela decidiu correr atrás do sonho, trabalhando em uma empresa do agronegócio. Nesse momento, a necessidade de se aproximar de pessoas influentes no setor se tornou muito importante. Para isso, o Instagram foi a ferramenta escolhida para alcançar esses alvos.

“Vi que nele estavam concentradas as pessoas da minha faixa etária, o que facilitaria o diálogo. Comecei a falar sobre meus aprendizados e descobertas sob uma ótica feminina e acabei conquistando um público bem diversificado, formado por homens e mulheres de diversas regiões do país.”

Desde então, o Ela é do Agro! não só realizou um sonho como também segue destacando outros trabalhos de Aretuza como influencer e embaixadora digital da Agrishow – feira internacional de tecnologia agrícola realizada anualmente no Brasil. Além disso, o perfil traz divulgação de eventos e depoimentos inspiradores de mulheres que acreditaram em seu próprio potencial após começar a seguir as postagens no Instagram.

“É nele que coloco toda minha paixão pelo agro, através de trabalho duro. Se ninguém acreditar em você, pense que os outros são os outros. O sonho é seu então você é o fator determinante para ele se concretizar. A realização de um sonho é uma questão de paixão, de trabalho duro e de acreditar em si mesma”, aconselha.

Gostou? Deixe nos comentários histórias de outras mulheres que também serviram como inspiração para você 😉

Autor (a)

Ana Rízia Caldeira
Boa ouvinte, aprecio demais os momentos em que posso ver o mundo e conhecer as coisas pelas palavras das outras pessoas. Não por menos, entrei para o jornalismo. E além de trazer conteúdos para o Next, utilizo minhas habilidades de apuração e escuta para flertar com a mini carreira de apresentadora nos stories do MBA USP/Esalq, no quadro Você no Camarim. Quando não estou me ocupando em ser a garota dos textos e do Instagram, gosto de usar meu tempo para devorar livros, acompanhar algum bom filme, enfeitar minha casa com tapetes de crochê, desenhar flores e abusar dos meus dotes na cozinha.

Compartilhar