Como viajar no fim do ano sem gastar muito

Quer viajar no fim do ano mais o orçamento está curto? Calma, não precisa desistir da ideia, basta adaptar. É possível se divertir e conhecer novos lugares sem precisar desembolsar uma fortuna ou esvaziar a poupança. O Next separou algumas dicas práticas para economizar, confira!

Fuja do padrão

Escolher o destino para viagem de fim de ano parece quase óbvio: a maioria opta pela praia. Passar a virada no litoral é quase clichê, mas você já pensou em fugir dos destinos mais procurados? Justamente por esse destino ser muito comum, a estadia, alimentação e lazer ficam mais caros. Escolher um lugar inusitado acaba gerando uma economia na viagem e te faz conhecer diferentes culturas. Muitas vezes não é preciso ir muito longe, há cidades históricas e cheias de cultura por todo o Brasil. Basta pesquisar o destino que mais se encaixa no seu orçamento e nas suas expectativas.

Pacote pra quê?

Para quem não tem muita experiência viajando, o mais fácil é comprar um pacote turístico em uma agência de viagem. No entanto, esse tipo de negócio costuma ser mais caro do que reservar o transporte e estadia separadamente. O ideal para poupar o bolso é pesquisar muito antes e fugir dos pacotes prontos, mesmo que pareçam ser a “última oportunidade” ou “o mais barato que você vai encontrar”.

Vá de carona!

Calma! Não é para você pegar sua bagagem e literalmente pedir carona na rodovia. Muitas vezes optamos por ir de avião para um lugar que não é tão longe e dá para ir de carro. Existem aplicativos, como o Bla Bla Car, que oferecem caronas colaborativas para vários destinos. Se você não está seguro para ir com alguém, pode oferecer as vagas que sobrarem no seu carro também – vai render um dinheirinho extra para ajudar a pagar a viagem. O ônibus é outra alternativa viável e barata para chegar a destinos que não são tão distantes. Caso você não vá com seu carro, opte por andar a pé ou no transporte público da cidade destino ao invés de alugar um carro. Você vai acabar conhecendo muita gente e aprender a ser independente.

Estadia alternativa

A primeira preocupação que vem à mente quando pensamos em viajar é onde se hospedar. É comum optar por ficar em grandes hotéis com várias atividades de lazer, piscina e outros benefícios, mas você já pensou em ficar em um hostel? Nesse tipo de acomodação normalmente você divide o quarto com outras pessoas, que podem ou não ser conhecidas. É uma boa saída para quem quer viajar com um grande grupo e não quer gastar com hotéis. Outra opção é buscar uma acomodação pelo Airbnb, que disponibiliza quartos em casas de família. Essas duas opções costumam ser mais baratas e há a vantagem de conhecer pessoas de vários outros lugares e ter uma imersão maior na cultura local. Para quem não abre mão de um quarto com banheiro individual, também há a possibilidade de ficar em uma pousada. Geralmente elas são mais simples e baratas que os hotéis, mas não dispensam o conforto.

Do it yourself!

Uma das coisas que mais custam quando viajamos é a alimentação. Com a desculpa de conhecer a culinária local, costumamos ir a restaurantes caros e gastar o que geralmente não gastamos nem na nossa própria cidade. Conhecer os pratos típicos é importante também, mas não há necessidade de ir durante os cinco dias de uma viagem em vários restaurantes caros diferentes. Se o orçamento está apertado, o ideal é optar por lugares mais baratos ou fazer a própria comida – se a acomodação tiver espaço para isso. Outra forma de economizar na alimentação é fazer lanchinhos para levar aos lugares. Se você vai passar o dia inteiro na rua, por que não levar sanduíches ou biscoitos? Isso evita o gasto com lanches no meio da tarde. No verão, principalmente, é importante sempre levar uma garrafa de água para todos os lugares. Gostou das dicas? Vai viajar no final do ano? Comente!

Autor (a)

Compartilhar