5 dicas para identificar fake news

As fake news (notícias falsas) estão circulando com mais frequência em redes sociais, sites e conversas no whatsapp. E em épocas de acontecimentos de grandes proporções, como as eleições presidenciais ou mudanças globais, a tendência é que as fake news ganhem espaço frente ao que é verdadeiramente notícia.

Abaixo reunimos cinco dicas para identificar notícias falsas sugeridas por Douglas Silveira, o gerente de marketing da Lupa, a primeira e maior agência de fact-checking do Brasil.

1 – Cheque além da manchete

Parece óbvio, mas é comum as pessoas se basearem apenas nos títulos e compartilharem conteúdo sem sequer clicar e ler o texto. “Muitas vezes as manchetes tendem a ser mais publicitárias do que jornalísticas e podem induzir o leitor que não conferiu a matéria por completo a ter uma dedução que não é real”, explica Silveira.

Essa estratégia para atrair cliques é usada por muitos veículos de comunicação – inclusive de renome – e é chamada de “clickbait”. Um exemplo de “clickbait” é a manchete: “Atriz conta segredo para emagrecer em uma semana”. Na realidade a matéria conta que ela perdeu 200 gramas por semana e levou meses para ter um resultado aparente.

2 – Preste atenção na URL da notícia

URL é o link que direciona ao site, onde está publicada a notícia. É importante observar sempre esse link porque os criadores de fake news tentam fazer com que ele pareça que é de outro site. “Às vezes a URL parece ser de um veículo tradicional, confiável e de credibilidade da imprensa”, afirma.

Geralmente, quem faz esse tipo de notícia costuma colocar o nome de um veículo de credibilidade na URL, mas com números ou outros símbolos que direcionam ao site falso.

3 – Sempre verifique as datas

Outra dica que parece óbvia, mas é bom reforçar. Muita vezes a notícia está em um site confiável e é verdadeira, mas de outra época. Algumas pessoas compartilham notícias antigas como se fossem atuais e, pela falta de observação, isso pode se tornar uma “bola de neve” e sair do âmbito virtual.

“Temos como exemplo uma suposta oferta de trabalho em um clube. No dia seguinte se forma uma fila de pessoas na frente do estabelecimento e quando o zelador chega as pessoas citam a vaga postada na internet como o motivo da aglomeração. O zelador então informa a todos que a notícia da vaga era de dois anos antes”, ilustra Silveira.

4 – Fique ligado na fonte da sua informação

Essa dica é para quem recebe informações em grupos de conversa e em redes sociais. “Quando você receber alguma imagem, algum vídeo, saiba que possivelmente ele pode estar adulterado”, diz.

Para driblar esse problema, é possível usar ferramentas para checar a origem da imagem. Um exemplo é o próprio Google Imagem, que você pode fazer o upload gratuito da foto e consegue checar quando ela foi publicada pela primeira vez na internet.

5 – Duvide e confira

Outra dica do gerente de marketing da Lupa é sempre duvidar e conferir tudo que for compartilhar. “Se mesmo assim a dúvida persistir, não compartilhe”, finaliza.

É importante sempre ir atrás da informação que for compartilhar e verificar a fonte. Uma alternativa é entrar em sites especializados em checagem de informações como a Lupa. Veículos tradicionais de comunicação também já começaram a aderir ao fact-checking para combater as fake news.

Ainda têm dúvidas? Confira o que é e como funciona uma agência de fact-checking, que trabalha na verificação de notícias.

Autor (a)

Compartilhar