Startups: SP concentra 50% do total de empresas de tecnologia para o agronegócio

Infografico01-2-768x465@2x

Desenvolvido em uma parceria entre Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) e  o AgTech Garage, o 1º Censo AgTech Startups Brasil, divulgado recentemente, mostra que o Estado de São Paulo possui 50% do total de startups de AgTech do Brasil, sendo que a maioria está na cidade de Piracicaba, que abriga 19% do total de empresas de base tecnológica para a agricultura do País.

“Em Piracicaba existe uma densidade de pessoas com expertise relevante no agro, isso por conta da Esalq, e também pelo número de empresas do setor, corporações, consultorias, centros de pesquisa e etc. Todos esses atores juntos formam o que chamamos de ecossistema perfeito para as startups, uma vez que elas conseguem rapidamente se conectar com todos eles para aprimorar, validar e escalar suas soluções tecnológicas”, afirma José Tomé, gestor do AgTech Coworking.

O 1º Censo AgTech Startups Brasil trata-se de um mapeamento inédito sobre o setor tecnologia para o agronegócio no País. O Censo foi uma iniciativa da Esalq em parceria com a AgTech Garage, que é o braço de inovação corporativa do AgTech Coworking. Foram três meses de captura de informações, através de formulário online, e depois mais um mês para analisar os dados e produzir o infográfico.

O levantamento demostrou também que 56% das startups abertas no país atualmente buscam desenvolver tecnologias de suporte à tomada de decisão, 50% são de softwares de gestão, 24% de agricultura de precisão e 25% de equipamentos Inteligentes (IoT) e Hardware.

Uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Startups (ABstartups) mostrou que a quantidade de startups voltadas para o agro no país cresceu 18% somente entre março e dezembro de 2015. “Esse tipo de empresa, com seus times enxutos e cultura de desenvolvimento ágil, estão revolucionando mercados com suas inovações escaláveis. Por outro lado, conhecemos o desafio de alimentar 9,6 bilhões de pessoas no mundo em 2050. É evidente que inovações tecnológicas serão fundamentais para o aumento da produção de alimentos de forma sustentável”, conclui Tome.

Confira o infográfico completo do censo aqui e opine sobre o crescimento das startups do agronegócio.

Confira também o MBA em Agronegócios USP/Esalq aqui.